Publicado em

Peri-implantite: o que precisamos saber e podemos fazer

Peri-implante como tratar

Peri-implantite, é uma doença infecciosa que atinge as gengivas e os ossos ao redor dos implantes dentários. Justamente por se tratar de uma doença, a peri-implantite causa muito desconforto para a pessoa que a possui, tendo não apenas muitas dores e incômodos, mas também sua autoestima passa a ser prejudicada.

A peri-implantite é o processo inflamatório da gengiva e do osso ao redor do implante, o que resulta na perda óssea, fazendo com que os implantes fiquem soltos, chegando a cair com o passar do tempo. A degradação óssea acaba ocorrendo rapidamente.

Atualmente a peri-implantite afeta em média 77% das pessoas que possuem implantes.

Esse problema costuma ser muito raro em dentes naturais. No entanto, as chances de inflamação e peri-implantite são muito maiores em casos de implantes, pois os implantes jamais irão aderir á gengiva da mesma maneira efetiva que os dentes naturais, ou seja, por menor que seja a diferença e por mais bem feito que seja feito o implante, jamais eles serão iguais aos naturais.

Em muitos casos de implantes a gengiva fica solta ao redor dos mesmos, gerando um pequeno espaço, o que aumenta as chances de ocorrer o crescimento de bactérias nocivas embaixo da gengiva.

Sendo assim se inicia a inflamação resultando no problema mais trágico que é o da perda óssea. A peri-implantite ocorre muito por conta da falta de higiene bucal correta.

Muitas pessoas escovam os dentes de maneira incorreta, realizando a escovação com movimentos indevidos que levam a danificação dos tecidos moles da gengiva, machucando-os.

Ocorre também da escovação não ser eficiente deixando resíduos e restos que alimentam as bactérias, aumentando as chances do crescimento das bactérias.

 

Sintomas do Peri Implante

Sintomas Peri-implantite

A saúde bucal deve estar em dia e qualquer sintoma diferente exige extrema atenção. Ao iniciar a cirurgia de implantação é necessário observar bem os tecidos diagnosticando e detectando possíveis hemorragias e outros possíveis problemas.

Apesar de qualquer procedimento bucal exigir extrema atenção desde a hora do procedimento, muitas vezes ocorre tudo certo e com o passar do tempo os problemas começam a aparecer.

Por ser uma doença que afeta a mucosa principalmente por conta do acúmulo do biofilme (placa bacteriana) na superfície dos implantes as lesões podem ser notadas na região.

Os principais sintomas são a vermelhidão na região da gengiva, supuração, hemorragia quando a sondagem é realizada, aumento da profundidade do tecido da gengiva, perda óssea e mobilidade do implante.

 

Tratamento peri-implantite

A peri-implantite pode ser tratada e se descoberta logo de início o tratamento tende a ser mais eficiente, rápido e sem muitos problemas futuros.

Na grande maioria dos casos o tratamento da peri-implantite mais comum resulta na retração da área que foi afetada, no caso a gengiva.

O tratamento é feito através da cirurgia de retração gengival, junto aos antibióticos.

A retração gengival pode ser solucionada através de uma cirurgia reparadora, que ajuda a reconstruir o tecido e cobrir a dentina novamente ou através de alguns tratamentos que ajudam a construir mais gengiva.

A cirurgia não é indicada para todos os casos. A cirurgia para o problema é chamada de enxerto gengival

 

Prevenção da peri-implantite

A prevenção da peri-implantite é muito prática e irá depender do paciente, pois tudo está em torno da higiene bucal.

É muito importante sempre escovar os dentes com frequência ao longo do dia, mantendo atenção ao tipo de movimentos e força que são utilizados na hora da escovação.

O uso de fio dental e antisséptico bucal são extremamente recomendados, para que não haja nenhum resíduo que alimente as possíveis bactérias permitindo seu crescimento.

Manter visitas frequentes ao dentista é fundamental para que realize periodicamente limpezas profundas, examinando a saúde dos dentes e tecidos, prevenindo futuros problemas, como a peri-implantite.

CTA Página Meeting Minas

Se tiver gostado do texto sobre “Peri-implantite: o que precisamos saber e podemos fazer” deixe seu comentário, sugestão ou compartilhe a ideia!

4 comentários sobre “Peri-implantite: o que precisamos saber e podemos fazer

  1. […] vantagem do uso de implantes cone Morse é a melhor manutenção dos tecidos periimplantares e na funcionalidade […]

  2. […] implantes detalhados e tinha o cuidado de sempre ter a consulta aos documentos clínicos. Seus primeiros […]

  3. […] em alguns casos, o tratamento não cirúrgico pode vir a ser válido e recomendado da periimplantite. Os que reagirem bem não precisam passar pela […]

  4. […] de alto grau de confiabilidade demonstram que o controle periódico reduz a ocorrência de periodontite/periimplantite e, por consequência, da perda óssea local e dos riscos de hipertensão, AVC, endocardite […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *