Indicações, adaptação marginal e longevidade

Indicações, adaptação marginal e longevidade clínica de sistemas cerâmicos livres de metal: uma revisão da literatura.

As restaurações cerâmicas livres de metal vêm substituindo cada vez mais as restaurações convencionais com infra-estrutura metálica, principalmente devido a sua superioridade estética. Mas o fator estético é apenas um dos requisitos necessários para o sucesso de uma restauração. Resistência, longevidade e precisão de adaptação marginal são requisitos necessários para o sucesso de uma restauração, seja qual for o tipo de material empregado. Sendo assim, o objetivo do presente estudou foi avaliar por meio de uma revisão da literatura, as indicações, a adaptação marginal e a longevidade clínica de diferentes sistemas cerâmicos: a base de dissilicato de lítio (IPS e.Max Press) e a base de zircônia (Cerec III,Procera, Lava e Everest). Pôde-se concluir que: as indicações clínicas para o sistema a base de dissilicato de lítio são: inlay, onlay, overlay, facetas laminadas, coroa total anterior e posterior, próteses parciais fixas de até 3 elementos em região anterior e de pré-molares; as indicações clínicas para os sistemas a base de zircônia são: inlay,onlay,overlay, coroa total anterior e posterior, facetas laminadas, próteses parciais fixas de até 4 elementos em regiões anteriores e posteriores e próteses parciais fixas com cantilevers. Os valores de adaptação marginal para os sistemas cerâmicos estudados foram clinicamente aceitáveis. Os sistemas cerâmicos avaliados apresentaram longevidade clinica satisfatória.

Faça Download em PDF: