Avaliação da osseointegração de Implantes

Estratégia para avaliação da osseointegração de implantes dentários baseada em procedimentos experimentais.

Implantes dentários osseointegráveis são largamente empregados para o tratamento de problemas odontológicos, sendo objeto de diversos estudos científicos em todo o mundo. Um aspecto que merece atenção é a avaliação da osseointegração, responsável pela qualidade da ligação entre o implante e o osso. O presente trabalho faz uma analogia entre o processo de reconstituição óssea na região do implante e o endurecimento de um material a base de cimento recém fabricado: em ambos os casos ocorrem um enrijecimento do material e evolução do módulo de elasticidade com o tempo. Desenvolveu-se em laboratório um programa experimental em que o implante é representado por uma barra engastada em um bloco feito de pasta de cimento endurecida, o qual simula o osso da mandíbula. A variação do módulo de elasticidade do bloco pode ser estimada através da avaliação da evolução das características dinâmicas da barra (frequência natural), na medida em que o corre a hidratação da pasta de cimento. Com base em tal analogia, utiliza-se um modelo computacional em Elementos Finitos de uma mandíbula humana com um implante dentário para a qual se assume que o crescimento do módulo de elasticidade do osso no entorno do implante ocorre de forma semelhante ao observado no bloco de pasta de cimento ensaiado em laboratório. Assim sendo, seria possível uma avaliação do tempo necessário para a osseointegração parcial ou completa do implante dentário.

Faça Download em PDF: